quarta-feira, março 30

AfroReggae

....Eu A esperei ali, entre o ponto de ônibus, o posto de gasolina, a banca de jornal, o shopping e o Canecão. Ansiava mais pela Sua chegada em si do que pela entrada ao evento-show do AfroReggae.
....A espera valeu.
....Ela veio vestida de beleza, com uma maquiagem de esplendor e um sorriso de divindade.

....- Humm, que vontade de ir ao banheiro
....- Vamos ao shopping então
....- Mas e o show?
....- Ah, temos tempo.
....Ela não sabe, mas para Ela, eu tenho todo o tempo do mundo.

....- Quer comer algo?
....- Mas vai dar tempo?
....- Claro! O show vai demorar ainda.
....- Então tá.
....O Homus virou Hamu. O charuto de folha de uva virou recheado de uva. E o kafka veio frito. Ainda assim, do jeito que gostamos de comida árabe, estava bom. Bom o suficiente para sairmos de lá com a barriga cheia.
....De lá, diretamente para o Canecão.

....Os portões estavam abertos. Na troca dos convites pelo ingresso, a tensão:
....- O Sr. está acompanhado?
....- Sim. Por ela.
....- Em nome de quem está o convite?
...."Em nome de quem está o convite?" Como asim? Não sei. Eu ganhei o convite da Roballo, que ganhou do pai dela e eu nem sei o nome do pai dela. Meu Deus! Será que não poderemos entrar? Pense Léo. Pense.
....- Léo Beck
....- De qual empresa?
...."De qual empresa?" Ah, fudeu.
....- Da Claro.
....- Um momento........ Não tem ninguém da Claro aqui. Fulana, tem algum convite da Claro aí?
....- Não. Aqui não.
....- Tem sim. Olha aqui. Sr., um momento. Qual o nome mesmo?
....- Léo Beck.
....- São dois ingressos, né?
....- Isso.
....Ufa! Por pouco...
....A revista que os seguranças fizeram foi ridícula. Lá fomos nós adentrar ao Canecão. Eu, acompanhado por Ela, não precisava de muito mais. Só que o muito mais veio.

....O Canecão estava disposto com mesas. Uma funcionária nos levou até a nossa, próximo ao centro da pista. O show na verdade era uma premiação (nos mesmo moldes do Oscar, VMB - claro, salvo suas proporções) oferecida pelo pessoal do Afro Reggae para aqueles que mais contribuem para a comunidade carente.
....Entre os premiados? B-Negão, Nação Zumbi e Gilberto Gil.
....Foi nesse momento que pensei: "se isso é uma premiação e estou sentado numa mesa bacana, num lugar bacana, logo, logo, ao nosso lado, os artistas deverão aparecer.
....Entre uma Boehmia e outra Smirnoff Ice, chega Gil, o Gilberto, não a Preta. A poucos metros da gente. Foi o suficiente para deixá-La em estado de êxtase. Alucinada, avistou MV Bill vindo em nossa direção, nos olhando e nos cumprimentando, como se fossemos grandes conhecidos.

....AFRO LATA
....De repente, um grupo de 8 garotos devidamente uniformizados sobem ao palco. Latas e galões de plásicos são seus instrumentos. O show é de batucada. HIPNÓTICO. Eu podia muito bem levantar e ir embora sem nenhuma frustação. Aquilo já havia bastado. Ginga, simpatia, técnica. A molecada mandou muito bem!

....Então, começou a entrega dos prêmios. A tônica foi a emoção, que dava a todos os discursantes a impresão de estarem completamente bêbados (se bem que a irmã do Garotinho (?) estava de verdade).
....E entre um prêmio e outro, mais shows:

....AKONI
....Um grupo similar ao Afro Lara, porém... só de garotAs! Entre as garotas, uma menininha com, no máximo 8 anos. Tocaram muito bem. Quase tão bem quanto o Afro Lata.

....MILITARES MINEIROS CUJOS CURSOS PARA POLICIAL VEIO DE UM PROJETO DO AFROREGGAE
....Entraram tímidos. E tímidos eles tocaram. Sem ginca, com pouca cordenação. Estavam claramente nervosos e numa "fria". De repente...
....Um gordinho e um colega dele sairam lá de trás, juntos com uma outra polícial, deixaram seus instrumentos no chão e, aí sim, o show começou. GENIAL! Os 3 dançavam alucinadamente no palco, com sensualidade tal... era a coisa mais engraçada do mundo. Eles chegaram ao ponto de subirem nos tambores para um meio strip-tease (só tiraram suas camisas para exibir a camiseta do Afro Reggae). O Canecão quase veio abaixo. Hilário!!

....Então, finalmente, o show de encerramento mais esperado da noite:
....AFRO REGGAE
....Um reggae de primeira, com participação do Liminha.
....Tocaram uma música deles. Boa!
....Depois, outra. Boa!
....Então, começou: as cortinas atrás deles se levantam e surge a Orquestra Sinfônica Brasileira.
....Tocaram juntos, tocaram cover do Gil, tocaram com o Gil....
....A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA ainda tocou Trem Caipira, do Heitor Villa Lobos

....A noite foi excelente. Ótima.
....E para fechar a noite...

"Eu só quero é ser feliz
andar tranquilamente na favela onde eu nasci
e poder me orgulhar
E ter a consciência que o pobre tem seu lugar"
Era o DJ Malboro, o rei do Funk...

....Nós?
....Bom, levantamos e viemos pra casa. Fazer o que?



Um comentário:

  1. Amo vc, Léo Beck.
    Estou feliz... acho ótimo viver de bons momentos e nós vivemos assim, de bons momentos.
    Sei que nesse último mês vc se esforçou, saiba que esse esforço é reconhecido por mim. Eu te retribuirei. Farei o possível pra ser digna de tudo o que vc sente por mim.

    ResponderExcluir